História

OBLATOS DE MARIA VIRGEM


"Como Maria apresentou Cristo no templo ao Pai, assim todo Oblato se apresenta a Deus pelas mãos de Maria"


Congregação fundada em 1816, na cidade de Carignano, Itália.

O fundador desta congregação religiosa masculina, o Venerável Padre Pio Bruno Lanteri, nasceu em 12 de maio de 1759 e morreu em 05 de agosto de 1830.

As constituições e normas dos Oblatos de Maria Virgem, foram aprovadas em 01 de setembro de 1826, pelo Papa Leão XII.

Delas extraímos a identidade do Oblato, assim definida pelo seu 1º artigo: "A Congregação dos Oblatos de Maria Virgem é um instituto religioso composto de sacerdotes e irmãos colaboradores, de direito Pontifício. Estes foram chamados pelo Espírito Santo para procurar somente Deus, e se doar totalmente à Deus Pai, a serviço do seu Rei. O Oblato segue a Jesus Cristo, sob a guia de Maria Santíssima, conduzindo uma vida fraterna em Comunidade. Fazem os votos públicos, atuando o espírito e o carisma de seu Fundador, Pe. Pio Bruno Lanteri."

A Congregação está presente atualmente em diversos países, como: Itália, França, Canadá, EUA, Filipinas, Nigéria, Austria, Argentina.

No Brasil chegou em 1947, na cidade de Jundiaí (SP). No ano de 1953 em Curitiba (PR). Na Amazonia estão presentes desde 1973.

No Planalto Paulista (SP) assumiram em 1955 a Paróquia de Nossa Senhora de Lourdes, que na época não tinha este nome.... Mas esta é uma outra história.



Visite o site da Congregação no Brasil !



Visite o site da Congregação Mundial !


VENERÁVEL PADRE PIO BRUNO LANTERI


Pio Bruno Lanteri nasce em Cuneo, a 12 de Maio de 1759, numa família profundamente cristã, num ambiente de fé.

O pai, Pietro Lanteri, médico conhecido pela sua profunda caridade, foi chamado "o pai dos pobres".

A mãe, Margherita Fenoglio, morreu dando à luz o seu décimo filho, quando o pequeno Bruno tinha apenas quatro anos.

Para a família foi uma experiência trágica mas vivida na fé.

Durante toda a sua vida, Lanteri recordará o momento em que, aos pés do altar, foi confiado pelo pai aos cuidados da Virgem Maria. Este foi o primeiro sinal daquela dedicação especial à Virgem Maria, que se irá revelar na sua experiência espiritual.

Em 1776, com 16 anos, o jovem Lanteri diz ao seu pai que quer se tornar um religioso.

Em 1778 o Epicospado de Mondovi aceita seu pedido e Bruno Lanteri inicia seus estudos na Universidade de Turim.

O sacerdote jesuíta Padre Nikolaus Von Diessbach, nascido na Suiça, em Berna, rapidamente se torna o seu orientador espiritual.

Em 1973 a Companhia de Jesus, ordem a qual pertencia, foi suprimida pelo Papa Clemente XIV (esta Ordem foi restaurada em 1814 pelo Papa PioVII). Nesta ocasião, o Padre Diessbach convida o jovem Bruno a “..difundir a Palavra de Deus através da Imprensa.”

E ele aceita.

Foi com este santo sacerdote que Lanteri se confirma, como disse, na linha de "uma total, sincera e inviolável obediência à autoridade da Santa Sé e de uma completa dedicação ao ensinamento dela".

Consolida-se nele aquele espontâneo afeto e generoso espírito de serviço ao Pontífice Romano, que irá estar sempre presente na sua vida.

A 25 de Maio de 1782, alguns meses antes de se formar em Teologia, é ordenado sacerdote em Turim, na igreja dedicada à Imaculada Conceição.

Entrou imediatamente ao serviço da Diocese de Turim, ajudando nas atividades pastorais de várias igrejas da cidade, onde se dedicou especialmente ao ministério da reconciliação sacramental, desenvolvendo um entusiasmo sentido pelo apostolado da misericórdia divina.

Em 1814, por obra de três sacerdotes, a saber: Reynaudi, Biancotti e Golzio, nasce em Carignano uma iniciativa destinada a responder às necessidades espirituais da cidade. Esta instituição, na busca de uma identidade apostólica própria, consolidou-se com a chegada do P.Lanteri, em 1816.

Foi o momento em que Lanteri começou a transmitir aos discípulos a sua "experiência do Espírito", estabelecendo as linhas de fundo da congregação que nascia: vida de oração, estudo, preparação para os Exercícios Espirituais, silêncio e vida de união fraterna.

No apostolado indicará sobretudo a pregação dos Exercícios de Santo Inácio, o ministério das confissões, a frequência dos sacramentos, a difusão dos livros, a luta contra os erros comuns e outros meios complementares.

Nesse mesmo ano, os Oblatos iniciaram com energia a sua vida em comum e apostólica, seguindo este caminho."

Em 1826, a Congregação dos Oblatos de Maria Virgem, aprovada pelo Papa Leão XII, inicia assim a sua vida em Pinerolo, acompanhada pelo fundador.

Foram os anos em que Lanteri se dedicou à pregação de forma privada dos exercícios espirituais, à orientação espiritual, direta ou por correspondência e à divulgação dos escritos de Santo Afonso de Liguori.

Os confrades contavam com a sua ajuda paterna, incitados pelo seu exemplo de "zelo pelas almas" e caridade fraterna.

Morreu aos 71 anos, no dia 5 de Agosto de 1830 em Pinerolo, onde está sepultado.

A 23 de Dezembro de 1965, com autorização de Paulo VI, foi promulgado o Decreto de Venerabilidade, onde se diz: "são notórias as virtudes teologais da Fé, Esperança e Caridade para com Deus e o próximo, como também as virtudes cardeais da Prudência, Justiça, Temperança e Fortaleza e as virtudes anexas, em grau heróico, do Servo de Deus, Pio Bruno Lanteri, Sacerdote fundador da Congregação dos Oblatos da Virgem Maria".


Por isto dizemos: Venerável Padre Pio Bruno Lanteri.