Pároco

Padre Benedito Aparecido de Assis, OMV

Nascimento: 03 de dezembro de 1980, em Santa Isabel / SP, Diocese de Mogi das Cruzes, sendo seus pais Anésio Ferreira de Assis e Thereza Maria da Silva Assis.

Batismo: 18 de janeiro de 1981, na Igreja Matriz Santa Isabel, na mesma cidade, pelo Padre João Orlando da Cruz.

Estudos: Ensino Fundamental, Básico e Médio na Escola Estadual João de Moraes Góes, em Piracaia / SP, Diocese de Bragança Paulista.
Para aquela cidade se mudou com a família em 1986 após o falecimento do pai em 27 de julho de 1986. A mãe casa-se de novo em 1988 com Anízio Francisco de Oliveira e, em 1990, nasce-lhe o único irmão Flávio Aparecido Silva de Oliveira.

Antes de entrar no Seminário Diocesano de Bragança Paulista: atuou como coroinha na Paróquia Santo Antônio da Cachoeira em Piracaia / SP, fazendo ali a Primeira Eucaristia em 22 de outubro de 1990 e recebendo a Crisma em 19 de março de 1995.
Em 1998 ingressa no Seminário Diocesano Imaculada Conceição, do qual saiu no final de 2000 após ter realizado dois anos de Filosofia na Pontifícia Universidade Católica de Campinas.

Seminário Venerável Padre Pio Bruno Lanteri, da Congregação dos Oblatos de Maria Virgem, em Jundiaí / SP: após um tempo de acompanhamento com o Pe. Bento Pavão, OMV, Reitor do Seminário, ingressa no dia 10 de fevereiro de 2002 como aspirante e, no ano seguinte retoma o último ano do curso de Filosofia na mesma Pontifícia Universidade Católica, em Campinas, para em 2004 iniciar a faculdade de Teologia no mesmo posto. Em 2005 parte com dois coirmãos para Rocca di Papa, em Roma, para vivenciar o ano de noviciado sob a orientação do Pe. Sérgio Zirattu, OMV. Concluido este tempo, retorna a Jundiaí onde, na Paróquia são João Batista, professa os votos evangélicos de obediência, pobreza e castidade no dia 29 de janeiro de 2006, que vem renovados até o ano de 2009. Neste tempo, conclui os estudos de Teologia na já mencionada universidade com o trabalho monográfico intitulado “A misericórdia divina no sacramento da Reconciliação, segundo alguns ensinamentos do Papa João Paulo II”. Durante este tempo, atuou como assessor dos grupos de quarteirão que se reúnem semanalmente para rezar o santo terço e partilhar o Evangelho, na Paróquia são João Batista, confiada aos cuidados pastorais da Congregação dos Oblatos de Maria Virgem e atuou na formação litúrgica dos demais seminaristas.



Profissão solene: 07 de fevereiro de 2009, na Paróquia São João Batista, em Jundiaí / SP, pelas mãos do então Reitor Maior, Padre Patrice Veraquin, OMV.

Ordenação Diaconal: 08 de fevereiro de 2009, na Paróquia São João Batista, em Jundiaí / SP, pela imposição das mãos de Dom Gil Antônio Moreira, então Bispo Diocesano. Nesta mesma paróquia exerceu o ministério diaconal.



Ordenação Presbiteral: 12 de setembro de 2009, na Paróquia São João Batista, em Jundiaí / SP, pela imposição das mãos de Dom Paulo Antonino Mascarenhas Roxo, OPraem, Bispo emérito de Mogi das Cruzes / SP. Nesta mesma paróquia exerceu o ministério presbiteral até o início de fevereiro de 2010, quando foi transferido como vigário paroquial para a Paróquia São Paulo Apóstolo em Curitiba / PR.

Continue lendo...




Primeiras palavras oficiais como Pároco.

Queridos irmãos e irmãs, estou eu aqui para servir!

Foi com temor, mas, também, com bastante confiança na bondade de Deus que, de fato, me dispus a vir trabalhar nesta porção da messe do Senhor onde minha família religiosa, Oblatos de Maria Virgem, já há tempos, na imitação do Venerável Padre Pio Bruno Lanteri, em comunhão com a Arquidiocese de São Paulo, tem buscado evangelizar.

O temor que me toma conta se dá pela consciência de minha pequenez e porque sou padre há somente dois anos. Mas como eu disse sim ao Senhor na vida consagrada oblata e confirmei este sim no sacramento da ordem, disse e digo sim sem hesitação a este ministério que o Senhor me confia de pároco desta comunidade.

No Evangelho de hoje percebemos que a empreitada que Jesus deixou para sua Igreja não é nada fácil: fazer discípulos seus todos os povos. Essa é a missão que a Igreja deve levar à frente e que nosso amado Papa Bento XVI colocou como lema da próxima Jornada Mundial da Juventude, em 2013, a realizar-se no Rio de Janeiro.

Aqui vim, pois, consciente de ser antes de tudo, discípulo missionário de Jesus Cristo pelo batismo, pela crisma, pela ordem. Como serei um bom discípulo missionário? Com um esforço pessoal e a colaboração de vocês. Nestes últimos anos, pude contar com as orações e testemunho de vida dos amigos e amigas da Paróquia São João Batista em Jundiaí, alguns dos quais estão aqui conosco, bem como o querido irmão Padre André e, ultimamente, da querida gente da paróquia São Paulo Apóstolo, em Curitiba, que muito carinhosamente vieram em peso com o estimado Padre Márcio. E agora eu, padre Benedito, baixinho de estatura, com 31 anos, meio isabelense e meio piracaiense, conto com as vossas orações e estímulo, meus queridos paroquianos e paroquianas desta comunidade dedicada à grande Mãe de Deus, Maria Santíssima, aqui invocada como Nossa Senhora de Lourdes.

Ser discípulo missionário convosco, significará sermos reflexos do amor da Santíssima Trindade, isto é, unidos sempre. Unidos entre nós: pároco e paroquianos e paroquianas, nas diversas pastorais e atividades, juntamente com as crianças, os jovens (aliás, temos um grande trabalho a fazer com a juventude), as famílias e as religiosas. Unidos com a Arquidiocese, por isso, caro Dom Tomé, pode contar comigo no empenho em concretizar o plano pastoral arquidiocesano. Unidos com os Oblatos de Maria Virgem, nas pegadas de Padre Lanteri, que aqui deixaram lindas marcas como o nosso querido Padre Carlos Alberto a quem tenho a graça de suceder, assumindo assim a grande responsabilidade de pai e pastor desta paróquia, e agora ao lado do meu querido irmão Padre Antonio, com seu dinamismo pessoal de amor a Jesus.

Querido Padre Sérgio, caríssimo Dom Tomé, amados irmãos e irmãs, não assumo esta missão como um peso, mas como motivo de alegria, alegria que, no documento de Aparecida é a “de sermos discípulos do Senhor e termos sido enviados com o tesouro do Evangelho”. Sou muito feliz em ser padre e padre oblato, e esta alegria de ser de Jesus quero que chegue a todos os da paróquia Nossa Senhora de Lourdes. Por isso, peço a todos que me ajudem e rezem por mim, para que eu seja um padre santo. Tenham paciência comigo se eu falhar, e me dêem esperança e estímulo para recomeçar. Que Jesus Eucarístico que fez de mim, um pobre pecador, seu padre, e fez do Planalto Paulista esta linda comunidade paroquial, nos conserve sempre unidos. E nesta intenção, consagro desde já a Nossa Senhora de Lourdes esta missão que hoje assumo, no propósito de colocar as minhas mãos entre as dela, porque na verdade, com Ela tudo caminhará e muito bem, pois, a Virgem Maria, foi escolhida por Deus como Mãe do seu Filho e, sabemos, cuidou muito bem dele, sendo-lhe fiel. Assim, creio, cuidará deste pobre padre que sou para que eu faça tudo o que Jesus disser e, ao mesmo tempo, ela orientará todos os nossos coordenadores e coordenadoras de pastorais, abençoará as famílias de nossa paróquia e tomará em seu Coração Imaculado a direção de todas as nossas pastorais. Ela cuidará de nós! Faço isso, usando as palavras de uma antiga oração da Igreja a Maria Santíssima:

À vossa proteção recorremos, Santa Mãe de Deus, não desprezeis as nossas súplicas em nossas necessidades, mas livrai-nos sempre de todos os perigos, ó Virgem gloriosa e bendita. Amém.

Obrigado a Padre Sérgio, meu superior geral, pela confiança!

Obrigado, Dom Tomé, pela acolhida na Arquidiocese e por sua presença de pai e pastor!

Obrigado aos padres, seminaristas e religiosas, e a todos e todas pela presença.

Louvado seja Nosso Senhor Jesus Cristo!

Continue lendo...




Celebração do 1º Ano de Pe. Benedito como Pároco.