Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão

"Um celebrante feliz de teus Sacramentos e um servidor humilde de todos os meus irmãos."

Os Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão surgiram na Igreja Católica após o Concílio Vaticano II, como resposta à escassez de ministros ordenados, e à necessidade de pessoas que pudessem auxiliar os ministros ordenados na distribuição da comunhão em diversas circunstâncias, tarefa que para muitos se tornava demasiado extenuante devido ao tempo e esforço despendido. A introdução de ministros leigos que pudessem auxiliar na ausência de outros ministros ordenados teve como finalidade trazer mais eficácia e dignidade à distribuição da Eucaristia.

O beato Papa João Paulo II instrui que estes fiéis não-ordenados, já há tempos, vêm colaborando com os ministros sagrados, em diversos âmbitos da pastoral, para que "o dom inefável da Eucaristia seja cada vez mais profundamente conhecido e para que se participe da sua eficácia salvífica com uma intensidade cada vez maior".

Trata-se de um serviço litúrgico que responde a necessidades objetivas dos fiéis, destinado sobretudo aos enfermos e às assembléias litúrgicas nas quais são particularmente numerosos os fiéis que desejam receber a sagrada comunhão.

A disciplina canônica sobre o Ministro Extraordinário da Sagrada Comunhão estabelece que ministros ordinários da sagrada comunhão são o Bispo, o presbítero e o diácono, enquanto é ministro extraordinário o acólito instituído ou o fiel para tanto deputado conforme a norma do cân. 230, § 3.

Para que o ministro extraordinário, durante a celebração eucarística, possa distribuir a sagrada comunhão, é necessário ou que não estejam presentes ministros ordinários ou quando, por causa da participação particularmente numerosa dos fiéis que desejam receber a Santa Comunhão, a celebração eucarística prolongar-se-ia excessivamente por causa da insuficiência de ministros ordinários.

Indicados pelo Pároco e com seu consenso, busca-se, antes de tudo, prover, entre outras coisas, que os fiéis indicados para esse encargo sejam devidamente instruídos sobre a doutrina eucarística, sobre a índole do seu serviço, sobre as rubricas que deve observar para a devida reverência a tão augusto Sacramento e sobre a disciplina que regulamenta a admissão à comunhão.

Além disso, eles constituem uma presença cristã de primeira linha diante da realidade do sofrimento e da doença, acompanhando os enfermos principalmente nos momentos mais graves, buscando suscitar neles o desejo dos sacramentos da Penitência e da Unção dos Enfermos, favorecendo as suas disposições e ajudando-os a se preparar para uma boa confissão sacramental e individual, como também para receber a Sagrada Unção.

Como o padre não consegue acompanhar cada enfermo, estes ministros fazem a sua vez, levando-lhes a eucaristia aos domingos, quando também partilham do evangelho.

Nossa paróquia Nossa Senhora de Lourdes conta com a colaboração de 28 ministras extraordinárias e ministros extraordinários da sagrada comunhão.

Beato Mateus Moreira - Patrono das Ministras Extraordinárias e dos Ministros Extraordinários da Sagrada Comunhão, no Brasil.

Na celebração dos 500 Anos da Evangelização do Brasil, em 2000, foram beatificados pelo Beato João Paulo II, os padres André de Soveral, Ambrósio Francisco Ferro e 28 Companheiros leigos, que no fim do século XVII, nas comunidades de Cunhaú e Uruaçu, no Rio Grande do Norte, tomadas por holandeses calvinistas, acabaram por regar o solo pátrio com seu sangue, tornando-o fértil para a geração dos novos cristãos.

São as primícias do trabalho missionário, os Protomártires do Brasil, fazendo-nos ver, assim, que em nosso imenso País, não foram poucas as dificuldades de implantação do Evangelho. A presença da Igreja foi-se afirmando lentamente, mediante a obra missionária de várias Ordens e Congregações religiosas e de Sacerdotes do clero diocesano.

A um daqueles 28 leigos, chamado Mateus Moreira, ao ser coagido a renegar a Eucaristia, se negou prontamente e estando ainda vivo, foi-lhe arrancado o coração pelas costas, mas ele ainda teve forças para proclamar a sua fé na Eucaristia, dizendo: "Louvado seja o Santíssimo Sacramento".

Em 2005 foi proclamado o Patrono de todas as ministras e ministros extraordinários da sagrada comunhão.



COORDENAÇÃO

- Aldo e Dário