Literatura

Recomendação de Leitura.

QUANDO E POR QUE PEDIR A UNÇÃO DOS ENFERMOS?


Nosso Diácono Vicente escreveu assim:

"Muitas vezes escuto: 'Diácono, ainda não é a hora para o senhor visitar'. Algumas vezes escuto isso de católicos praticantes, mas acham que 'Chamar o padre' deve ser uma das últimas coisas.

Sinto com tristeza ,no meu dia a dia, que a maioria dos familiares só nos chama para visitar seus doentes quando ele está em seus últimos instantes. Pe. Léon Burdin disse: “...terrível irresponsabilidade a das famílias que chama o padre, excessivamente tarde, na última hora quando o agonizante já entrou no último coma e ela só pode abençoar um cérebro apagado”.

A felicidade é um grande dom do Espírito Santo, até mesmo nas circunstâncias nas quais somos atingidos por uma enfermidade.

O Senhor, por meio do Sacramento da Unção dos Enfermos, nos concede viver sem medo o enfraquecimento de nossa saúde corporal e nos permite associar-nos aos sofrimentos na Cruz do nosso divino Redentor.

Recomendo-lhe!!! - Pe. Benedito, OMV.


Recomendação de Leitura.

VOCÊ É CASADO OU PENSA EM SE CASAR?


Para ajudar na reflexão sobre o casamento. Reflita nas palavras:

Noivo: Eu, (...) te recebo, (...), por minha esposa, e te prometo ser fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossa vida.

Noiva: Eu, (...) te recebo, (...), por meu esposo, e te prometo ser fiel, amar-te e respeitar-te, na alegria e na tristeza, na saúde e na doença, todos os dias da nossa vida.

Padre: O Deus de Abraão, o Deus de Isaac, o Deus de Jacó, o Deus que abençoou os nossos primeiros pais no paraíso, confirme e abençoe em Cristo este compromisso que manifestantes perante a Igreja.
Ninguém separe o que Deus uniu! Bendigamos ao Senhor! Todos: Graças a Deus!

A imensa maioria dos fiéis católicos vive no estado matrimonial ou se prepara para ele.
É o caminho ordinário no qual o laicado vice sua vocação cristã. Embora o Rito Nupcial seja relativamente breve, a graça do sacramento se desdobra ao longo de toda a vida matrimonial.
O matrimônio é uma escola de amor a Deus, de amor ao cônjuge e aos filhos por amor a Deus e a tudo que nos rodeia, com amor de gratuidade.

Recomendo-lhe!!! - Pe. Benedito, OMV.


Recomendação de Leitura.

POR QUE DEVO ME CONFESSAR?


Quando nos confessamos, buscamos, com a ajuda da graça de Deus, sobretudo, mudar a nossa vida, em conformidade com o Evangelho de Jesus Cristo, e obter o perdão de Deus Pai, pelos méritos de Nosso Senhor Jesus Cristo e pela graça do Espírito Santo.

Este livrinho foi escrito pelo Autor pensando naqueles fiéis que se confessam com frequência, com a finalidade de ajudá-los a se confessar melhor e, também, para aqueles que estão ainda indecisos ou ainda para aqueles que querem se confessar, mas não sabem como o fazer, e têm necessidade de uma orientação ou de um pequeno impulso para vencer este medo muito humano de não querer reconhecer, diante de um outro, os próprios pecados.

Recomendo-lhe!!! - Pe. Benedito, OMV.



Recomendação de Leitura.

POR QUE E PARA QUE PARTICIPAMOS DA CELEBRAÇÃO DA SANTA MISSA?


Participamos da Santa Missa, antes de tudo, por amor a Deus.
Participamos da Santa Missa para prestar a Deus, Uno e Trino, o humilde tributo de nossa adoração, de nossa reverente submissão.
Participamos da Santa Missa para louvar o Senhor por suas obras, pela beleza de seus desígnios, de sua criação e das obras de sua graça.
Participamos da Santa Missa com um tremor de gratidão pelos incontáveis benefícios de toda ordem que Ele nos concedeu generosamente, inclusive sem que o tenhamos pedido.

RECOMENDO-TE O LIVRINHO "POR QUE DEVO IR À MISSA AOS DOMINGOS?", DO CARDEAL JORGE MEDINA ESTÉVEZ.


Estas páginas lhe recordarão, em primeiro lugar, a imensa graça da presença do Senhor no Sacramento da Eucaristia e a obrigação de encontrá-Lo, ao menos todos os domingos e grandes festas do calendário cristão, e lhe indicarão também quais são os pontos que deverá considerar, a fim de que o encontro com o Senhor seja digno e frutífero.


Recomendação de Leitura.






Passada a solenidade da Assunção de Nossa Senhora, nosso Pároco indica, como sugestão, o tema do livro de Frei Clodovis M. Boff, OSM, intitulado "Dogmas marianos: síntese catequético-pastoral", da editora Ave-Maria, 2ª edição de 2011.






Voce sabia que:

 

Mais de 1,5 milhões de ‘Youcat’ foram distribuídos na JMJ Rio/2013 ?

“Um milagre que tornou-se realidade, graças ao apoio do Papa Emérito Bento XVI e à generosa contribuição da ‘Ajuda à Igreja que sofre’”.

Assim o Cardeal Christoph Schönborn comentou o extraordinário sucesso do ‘Youcat’, o Catecismo Jovem da Igreja Católica destinado aos jovens, lançado em 2011 por ocasião da JMJ de Madrid.

Elaborado por cinqüenta jovens guiados pelo Arcebispo de Viena, o Youcat (abreviação para ‘Youth Catechism’), é o maior projeto editorial cristão no mundo, promovido pelos bispos austríacos e traduzido em diversas línguas, incluindo o árabe.

O Youcat, usando uma linguagem jovem, apresenta uma série de perguntas e respostas, além de comentários, ilustrações, definições, citações bíblicas e de Santos, da Doutrina Social da Igreja e de expoentes de outras religiões, até mesmo de não-crentes.

Uma fórmula que deu certo e continua a dar frutos.

Como o Catecismo da Igreja Católica de 1992 e o sucessivo Compêndio publicado em 2005, o “Youcat é uma espécie de milagre, que realiza o sonho do Beato João Paulo II: a nova evangelização, para os jovens e através dos jovens, resumindo, uma verdadeira bênção”, concluiu o Cardeal Arcebispo de Viena Christoph Schonborn. (JE).





VOCE CONHECE O ‘YOUCAT’ ?


QUER UM?


PEÇA O SEU NA SECRETARIA!










Papa lança livro sobre infância de Jesus

 

Bento XVI diz que 'nascimento virginal' de Cristo é verdade histórica.
'A infância de Jesus' é o livro final da trilogia do pontífice sobre Jesus.

Jesus nasceu em Belém no ano 15 do império de Tibério César, e seu nascimento virginal "não é um mito, mas uma verdade", afirma o papa Bento XVI em seu livro "A infância de Jesus", apresentado nesta terça-feira (20) no Vaticano. O livro será vendido a partir da quarta, em 21 línguas, nas livrarias de 50 países.

"É certo que Jesus foi concebido por obra e graça do Espírito Santo e nasceu de santa Virgem Maria?. Sim, sem reservas", escreve o pontífice, que ressalta que há dois pontos na história de Jesus nas quais a ação de Deus intervém diretamente no mundo material: no parto de Nossa Senhora e na Ressurreição no Sepulcro, "no qual não permaneceu nem sofreu a corrupção".

"A infância de Jesus" é o terceiro livro da trilogia de Joseph Ratzinger-Bento XVI (são usados os dois nomes no volume, já que ele começou a escrevê-la quando ainda era cardeal) sobre Jesus.

O livro, de 176 páginas, tem um prólogo do papa e está dividido em quatro capítulos e um epílogo. O primeiro capítulo é dedicado à genealogia do Salvador nos Evangelhos de Mateus e Lucas, ambos muito diferentes, segundo o papa, mas com o mesmo significado teológico-simbólico: a colocação de Jesus na história.

O segundo capítulo fala do anúncio do nascimento de João Batista e de Jesus, e nele Bento XVI escreve que lendo o diálogo entre Maria e o anjo Gabriel, se vê como Deus, por intermédio de uma mulher busca "uma nova entrada no mundo".

O terceiro capítulo aborda o nascimento em Belém e seu contexto histórico, no Império Romano que, sob Augusto, se estende entre Oriente e Ocidente e que, com sua dimensão universal, "permite a entrada no mundo de um portador de salvação universal".

O quarto capítulo trata dos Reis Magos. No texto, o papa reconstrói uma ampla gama de informação histórico linguística e científica.

No epílogo, Bento XVI lança mão do Evangelho de Lucas e conta o último episódio da infância de Jesus, a última notícia que se tem dele antes do início de sua vida pública com o batismo nas águas do rio Jordão. Trata-se do episódio de três dias durante a peregrinação da Páscoa, na qual Jesus, com 12 anos, se afasta de Maria e José e permanece no Templo de Jerusalém debatendo com doutores da Lei.